Denis Marandici – Em Leiria à procura da afirmação

Nasceu na Moldávia, mas com apenas 6 anos emigrou para Portugal em busca de uma vida melhor. Hoje, 15 anos depois, é uma das jovens promessas do seu país e está num histórico do futebol português a lutar pelo sonho de se tornar profissional.

 

AMBIDESTRO:  Começaste a jogar futebol no Caldas Sport Clube com apenas 9 anos. O gosto pelo futebol é de família?

Denis Marandici – Sim, a paixão pelo futebol está presente em toda a minha família. Recordo-me de ser ainda muito novo e o meu pai ensinar-me a dominar a bola, a chutar, a passar e a cruzar. Os meus irmãos também adoram futebol e um deles joga nos juniores do UD Leiria.

AMBIDESTRO – Estiveste alguns anos no Caldas antes de te transferires para o Leiria. Como descreves esse primeiro contacto com o futebol de competição?

Denis Marandici – Os anos que passei no Caldas foram bastante importantes para a minha formação, foi uma experiência muito positiva, fiz muitas amizades. Na minha geração éramos sempre uma das equipas mais fortes do distrito e isso é ótimo porque todos os miúdos gostam de ganhar.

AMBIDESTRO – Depois do Caldas seguiu-se o Leiria. Como é que se processou a tua transferência para o clube?

Denis Marandici – Quando estava nos sub-13 já sabia que havia interesse por parte do União de Leiria para contar comigo, mas acabei por ficar no Caldas, a disputar o campeonato nacional de iniciados. No final dessa época participei em um torneio amigável, em que o Leiria também estava presente e um dirigente acabou por falar com o meu pai a convidar-me a ingressar no clube. Na altura lembro-me que a direção do Caldas facilitou a transferência, no entanto o treinador queria muito ter-me na equipa e tentou evitar a minha saída.

AMBIDESTRO – Quando chegaste a Leiria o que é que mais te surpreendeu no clube?

Denis Marandici – Sem dúvida a dimensão do clube. O Leiria obviamente era a referência para todos os jovens do distrito, mas foi surpreendente ver todos os anos centenas de jogadores a quererem integrar as camadas jovens do clube, inclusive jogadores vindos dos grandes clubes, que eram seduzidos pela oportunidade de chegar à primeira equipa.

AMBIDESTRO – Que balanço fazes dos teus anos de formação no UDL?

Denis Marandici – Cheguei ao Leiria nos iniciados e o primeiro ano foi fundamental porque estava habituado a jogar mais subido no terreno e fui adaptado a defesa lateral . Conseguimos chegar a uma fase final do campeonato nacional e joguei todos os jogos nessa época, o que me permitiu ganhar alguma experiência nessa posição para as épocas seguintes. Nos juvenis dei continuidade a essa evolução, mas na minha primeira época como júnior já tive algumas dificuldades. Foi um ano complicado em que joguei muito pouco, mas provavelmente foi a época em que mais evoluí. O segundo ano de júnior foi totalmente diferente , joguei muitos jogos e consegui evidenciar-me, com boas exibições, golos e assistências e consegui garantir um lugar no plantel principal no ano seguinte.

AMBIDESTRO – Antes de chegares à equipa principal do Leiria, estreaste-te pelas seleções jovens da Moldávia. Como é que recebeste a notícia de que tinhas sido convocado?

Denis Marandici – A minha primeira internacionalização foi ainda nos sub-17, num jogo particular contra a Hungria. Na altura foi algo inesperado. Estava de férias na Moldávia, e o selecionador ouviu falar de mim e chamou-me para um jogo amigável para me ver jogar. O jogo correu-me bem e fui logo convocado para um jogo de qualificação para o Euro sub-17 frente à Arménia. Depois continuei a ser chamado nos sub-19, onde joguei contra a Holanda e Andorra.

AMBIDESTRO – Desde aí nunca mais largaste o lugar na seleção e agora és titular nos sub-21. Qual é a sensação de poderes representar o teu país

Denis Marandici – Nos jogos pelos sub-17 e sub-19 sentia obviamente uma certa ansiedade antes de entrar em campo, mas acima sentia muita vontade de ajudar e de dar o meu contributo. É um orgulho vestir as cores do meu país. Agora, nos sub-21, já me sinto mais confortável e não sinto tanto aquele nervosismo inicial, mas o orgulho continua a ser o mesmo.

AMBIDESTRO – Como tem corrido essa experiência nos sub-21?

Denis Marandici – Somei a minha primeira internacionalização como sub-21 no verão de 2016 contra a Bielorrússia, ainda com a geração mais velha, isto é, os jogadores todos de 1994/95. O jogo correu-me bem e, em Dezembro desse ano, quando começou a ser formada outra vez a equipa nacional sub-21 para a qualificação para o Euro voltei a ser chamado. Infelizmente os resultados nem sempre foram os melhores por erros infantis em quase todos os jogos, mas a nível individual acho que tenho estado bem. Sou o único jogador totalista, com cerca de 11 internacionalizações, e fui inclusivamente eleito pelo jornal desportivo da Moldávia como um dos três melhores jogadores da seleção na fase de qualificação.

AMBIDESTRO – Tendo também nacionalidade portuguesa considerarias jogar por Portugal se a oportunidade surgisse? 

Denis Marandici – Nunca pensei muito sobre esse assunto, até porque essa oportunidade nunca surgiu. Era algo que consideraria sem dúvida e que me deixaria muito feliz, no entanto neste momento represento os sub-21 da Moldávia e sinto-me bem em representar o meu país desta forma.

AMBIDESTRO – Na época 2015/2016 chegaste à equipa principal do Leiria, num ano em que mal jogaste. Sentiste uma grande diferença entre o futebol de formação e o futebol sénior?

Denis Marandici – Sem dúvida que a minha primeira época nos seniores foi bastante complicada. O futebol júnior é completamente diferente do sénior a todos os níveis. Desde a velocidade, à agressividade e à cultura tática, levei algum tempo para me habituar. Só fiz um jogo oficial nessa temporada contra o Coruchense.

AMBIDESTRO – No ano passado já conseguiste jogar mais, tendo feito 1 jogo para a taça e 7 para o campeonato, mais os jogos pelos sub-21. Como é que está a ser esta época?

Denis Marandici – Este ano o plantel é muito forte e equilibrado. Temos uma grande equipa técnica, bons métodos de trabalho e muitos jogadores experientes, que acrescentam algo mais ao clube. Para mim é ótimo poder trabalhar num grupo assim. Não tenho jogado muito, mas sinto que estou a evoluir.

AMBIDESTRO – Sentes que o facto de teres que te ausentar do clube para os compromissos internacionais é algo que acaba por prejudicar a tua afirmação no clube?

Denis Marandici – Sim, sem dúvida. Esta época ausentei-me várias vezes para ir à seleção, e como neste campeonato não há pausa para os jogos internacionais acabo por perder alguns treinos e jogos e depois é mais difícil agarrar um lugar.

AMBIDESTRO – O Leiria tem reconhecidamente um dos planteis mais fortes do Campeonato de Portugal e está neste momento no segundo lugar da série C. A subida de divisão é o objetivo?

Denis Marandici – Este ano sinto que temos uma estrutura muito forte, com um grupo unido e muito ambicioso. Todas as semanas o treinador tenta incutir-nos uma mentalidade vencedora e acho que os resultados estão à vista. Trabalhamos sempre para ganhar e obviamente queremos subir de divisão.

AMBIDESTRO – E a nível pessoal? Quais são os teus objetivos para esta temporada?

Denis Marandici – O meu objetivo principal é somar o máximo de jogos possíveis e conseguir evoluir para que um dia possa chegar aos campeonatos profissionais. Sou uma pessoa muito ambiciosa, e isso torna-me um jogador com uma grande vontade de vencer, por isso acredito que posso lá chegar.

AMBIDESTRO – Tens como pontos fortes a velocidade, a capacidade de cruzamento e a agressividade e entrega ao jogo. O que pensas que tens que melhorar para atingir o teu objetivo? 

Denis Marandici –Para se ser profissional tem que se ser muito bom e para isso tenho que melhorar a todos os níveis, mas baseando-me nas análises e nas críticas que recebo acho que tenho que melhorar essencialmente a tomada de decisão com bola.

AMBIDESTRO – Tens ídolos no futebol?

Denis Marandici – Cresci a admirar jogadores como o Ronaldo, o Messi, e agora o Neymar, são espectaculares. Na minha posição gosto muito do Marcelo, mas o Kolarov e o Evra também são referências para mim.


Fora das quatro linhas

Estilo de música favorito : Rap e R&B

Músicos favoritos : Future e Troy Lanez

Comida favorita : Sushi

Clube de Sonho : Manchester United

Ocupação de tempos livres : Ir ao ginásio e passar tempo com a família e amigos

 


Com o desejo de chegar ao futebol profissional, Denis é sem dúvida um dos jogadores a ter em atenção no Campeonato de Portugal esta temporada, e temos a certeza que ainda vamos ouvir falar muito dele.

O AMBIDESTRO deseja as maiores felicidades tanto a nível profissional como pessoal a este jovem jogador.

Junte-se a nós no facebook em AMBIDESTRO

Diogo Gonçalo

Diogo Rafael, 21 anos e um apaixonado pela vida no geral e pelo futebol em particular. Licenciado em Ciências da Comunicação e criador do site www.theluxlifeon.com, onde pretendo ajudar os outros a aproveitarem a vida ao máximo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.