Roberto Carlos e o livre contra França: “Foi um milagre”

Roberto Carlos é unanimemente um dos melhores laterais da história do futebol moderno, com uma carreira e um palmarés ao alcance de poucos. Porém, o brasileiro ficou para sempre imortalizado em 1997, ao marcar um dos golos mais icónicos da história do futebol. Vinte anos depois, explicou que não foi algo totalmente planeado.

3 de junho de 1997, no estádio Gerland, em Lyon. A França e o Brasil disputavam o primeiro encontro a contar para o Torneio de França, constituído por essas duas seleções, mais a Itália e Inglaterra. Quatro grandes potências mundiais da altura, que deleitaram os adeptos nesse torneio amigável ganho mais tarde pelos brasileiros.

Aos 21 minutos de jogo, Roberto Carlos, então jogador do Real Madrid, entrou para a história ao marcar um livre a trinta e cinco metros da baliza, de ângulo improvável para um esquerdino, e contra Fabien Barthez. A trajetória da bola foi impressionante,  embatendo depois no poste para acabar dentro da baliza, para incredulidade do guarda-redes francês, e do mundo.

Em entrevista ao L’Equipe, o autor desse tento explicou que foi um “milagre” também para ele, pois teve uma ajuda inesperada. “A bola ia completamente desviada, mas o vento retificou a sua trajetória até à baliza. Foi um milagre.” O golo que desafiou a física tem então, para Roberto Carlos, uma explicação bem lógica.

 

 

David Silva

Lourinhanense de gema, é estudante de Ciências da Comunicação na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas. Tem como hobby a escrita, e como paixão o futebol.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.