Terá chegado a hora de Rony Lopes?

Rony, alcunha de Marcos Paulo Mesquita Lopes, é um nome conhecido do futebol nacional há já algum tempo. Atualmente com 21 anos, começa a afirmar-se no Mónaco de Leonardo Jardim depois de fazer história no City e três épocas de crescimento em Lille. Apesar da derrota frente ao Lyon, marcou um golo e assistiu para outro, revelando uma maturidade crescente.

Esquerdino, baixo centro de gravidade, agilidade, muita técnica e visão de jogo. Esta descrição poderia pertencer a Messi, mas o dono destas qualidades é português, nascido no Brasil. Foi uma das maiores promessas das seleções jovens entre 2013 e 2015, porém pela mão de Rui Jorge só jogou 90 minutos desde Março de 2016. Era o crónico número 10 desde os sub-16, onde se estreou com 14 anos. Na verdade Rony sempre se estreou nas diferentes categorias com um ou dois anos de “antecedência” (estreou-se pelos sub-21 com apenas 18 anos).

Rony destacou-se no Europeu sub-19 em 2014, e no Mundial sub-20 em 2015

Era uma das jóias mais brilhantes do Seixal, integrando os juvenis ainda com idade de iniciado. O Manchester City perdeu a cabeça e deu milhão de euros por um miúdo de catorze anos nascido em Belém do Pará. Brilhou ainda mais intensamente em Inglaterra, nas equipas de reservas onde chegou a ser capitão, e até batendo o recorde de mais jovem a marcar pela equipa principal em 2012/13, ao lado de Tévez, Yaya Touré ou Aguero.

Em 2014/15 o menino foi emprestado ao franceses do Lille com muita expetativa em seu torno, sendo titular habitual e marcando três golos e três assistências pela mão de René Girard. Seguiu-se o Mundial sub-20 na Nova Zelândia, no verão de 2015, onde se destacou ao lado do titular da seleção “A” André Silva. O Mónaco não se fez despercebido e acordou uma transferência de 12 milhões de euros pelo playmaker do City, que fez dois jogos pela equipa monegasca antes de ser emprestado por duas épocas ao Lille.

Uma lesão afastou-o durante alguns meses na primeira época, e dificultou o seu desenvolvimento. Na época passada explodiu marcando seis golos e cinco assistências em 29 jogos, ficando o Norte de França pequeno demais para o seu talento: rumou a sul pois Leonardo Jardim viu-se obrigado a colmatar as saídas de Bernardo e Mbappé, e confiou o lado direito do ataque a Marcos Lopes, que é totalista na Ligue 1.

Leva agora onze jogos, um deles a estreia na Champions, dois golos e três assistências. Só Falcao esteve envolvido em mais golos nesta época, que não começou de feição ao Mónaco (pode ver o PSG adiantar-se no primeiro lugar em seis pontos). Avaliado em oito milhões de euros, Rony tem retribuído a confiança de Leonardo Jardim e quererá ser o “next big thing” desenvolvido pelo treinador português. Talento no seu pé esquerdo não falta, e uma oportunidade  para brilhar na “seleção das quinas” poderá demorar pouco tempo a este ritmo, aliado ao facto da seleção brasileira estar também de olho nele.

Veja o golo e a assistência de Rony contra o Lyon:

 

David Silva

Lourinhanense de gema, é estudante de Ciências da Comunicação na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas. Tem como hobby a escrita, e como paixão o futebol.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.