Nélson Lenho: um “líder” que procura cimentar o Aves na 1ª Liga

Bilhete de identidade:

Nome : Nélson Ricardo Cerqueira Rodrigues Lenho
Data de nascimento : 1984-03-22
Nacionalidade : Portuguesa
Peso : 75 kg
Altura : 178 cm
Posição : Defesa-esquerdo
Número : 21

Nélson Lenho frente a Adrien Silva

A edição desta semana do “Exclusivo Ambidestro” traz-lhe o testemunho de um jogador que já vai na décima quarta época profissional, com passagens por clubes como Leixões, Belenenses, Penafiel, Chaves e atualmente o primodivisionário C.D. Aves.

Falo-lhe do vianense Nélson Lenho, um lateral experiente que na época passada foi o único totalista, em minutos jogados, da Liga NOS. Fez parte da formação no Vitória de Guimarães, e tem uma vasta experiência em divisões secundárias (levou quatro clubes à subida). Abraçou neste verão um novo desafio, depois de duas épocas em Chaves, e hoje em dia é o capitão dum Aves que chega com ambição de se manter no melhor futebol nacional. Descubra tudo sobre o percurso do futebolista, os seus maiores feitos, as maiores aprendizagens, e os maiores objetivos.


AMBIDESTRO: Como te descreves enquanto jogador?
Nélson Lenho: Um jogador simples, gosto de ter bola, não viro a cara à luta.

AMBIDESTRO: Capitaneaste um grupo que vinha com a “ilusão” de regressar da melhor forma possível ao primeiro escalão, 17 anos depois. Como foi a gestão do balneário?

Nélson Lenho: Foi extremamente fácil, pois tínhamos um grupo de homens, a época correu bastante bem e quando assim é tudo se torna menos complicado de gerir.

AMBIDESTRO: Apesar de seres um reforço, o treinador Ricardo Soares deu-te a braçadeira de capitão. Sentes que tens um dom natural para capitanear?

Nélson Lenho: Nem todos podem ser líderes, o ser líder não é ser mais que ninguém, não é impor o que quer que seja pelo estatuto, mas sim pelo exemplo e pela forma como se relaciona com todos os elementos, pela maneira de falar e de agir.

AMBIDESTRO: O que é mais importante, a experiência, ou a personalidade?

Nélson Lenho: A experiência  é importante, tens que ter a capacidade de perceber como cada um dos teus colegas gosta de ser tratado. Ou seja, tens que tentar ajustar a tua forma de falar com cada um. A personalidade  não é menos importante, mas é algo que vais construindo desde novo. Como é óbvio se tiveres uma personalidade forte, vincada e natural estás mais perto de seres respeitado e admirado.

AMBIDESTRO: Tendo em conta que foste o único totalista, em minutos jogados, na edição passada da Liga, ficaste satisfeito com o teu rendimento individual?

Nélson Lenho: No geral fiquei satisfeito com o meu rendimento a nível individual, pois foi algo que não imaginava atingir no início da temporada. Mas não posso deixar de mencionar toda a equipa a qual pertenci, pois se a equipa não estivesse a bom nível, não conseguiria esse registo.

Capitão na época passada, disputou mais de 100 jogos pelo Chaves

AMBIDESTRO: E a nível coletivo, a boa campanha do Chaves na Liga e na Taça surpreendeu apenas os adeptos ou também as pessoas do clube auguravam este desempenho?

Nélson Lenho: Conforme íamos passando eliminatórias, íamos acreditando que era possível. A partir de uma determinada altura, só pensávamos em chegar à final. Todos, jogadores, treinadores, staff e os adeptos que eram fantásticos.

AMBIDESTRO: Depois de mais de cem jogos com o emblema flaviense ao peito, abraçaste um novo projeto, o C.D. Aves. Em que aspetos este desafio é diferente para ti, e quais os teus objetivos na Vila das Aves?

Nélson Lenho: Um desafio apetecível, algo novo para mim, mas acredito no projeto, primeiro pelas pessoas que falaram comigo e depois porque o Aves é um clube com história e que estava afastado do patamar máximo do nosso futebol há algum tempo. Tem adeptos e uma claque incrível que acompanha o clube para todo lado. Os meus objectivos, sem dúvida que passam por dar o máximo de mim para puder ajudar o clube a cimentar-se na Primeira Liga.

AMBIDESTRO: A nível coletivo, achas que o Desportivo das Aves pode fazer algo semelhante ao Chaves e manter-se tranquilamente na Liga, tendo em conta os bons reforços desta época?

Nélson Lenho: Todas as época são diferentes e não se pode idealizar muito no futebol. Tem que se trabalhar diariamente e lutar pelos objetivos traçados. Acho que o Aves tem muitas possibilidades de fazer um campeonato tranquilo. Ter bons jogadores nos clubes não chega, é preciso construir uma boa equipa.

AMBIDESTRO: A tua formação foi feita no Vianense, e posteriormente no Vitória de Guimarães, mas não chegaste à equipa principal. Foi uma desilusão na altura?

Nélson Lenho: Sim, ficou sempre uma pequena mágoa por nunca ter chegado à equipa principal, mas a vida é assim mesmo e segui o meu destino. Gosto do Vitória pois foi lá que fiz parte da minha formação quer como jogador, quer como ser humano.

AMBIDESTRO: Pensas que a tua passagem em divisões secundárias, em clubes como o Sandinenses, Freamunde, Santa Clara, até o próprio Belenenses na saudosa época de 2012/13, mudou a forma como vês o Jogo, e a tua maneira de ser?

Nélson Lenho: A forma de ver o jogo vai mudando consoante a experiência que vais ganhando. O facto de ter passado por divisões secundárias, faz-me valorizar muito todas as condições que tenho agora nos clubes por onde tenho passado. E sem duvida que a minha maneira de ser foi-se construindo com base em todas as experiências e vivências que tive até chegar a Primeira Liga.

AMBIDESTRO: Tens atualmente 33 anos, e contrato até 2020 com o Desportivo das Aves. Pensas que este pode ser o último clube da tua carreira? Ou não pretendes “ficar por aí”?

Nélson Lenho: Não posso responder-te a isso porque o futebol é muito incerto e tudo pode virar de uma forma muito rápida. Não sei o que o futuro reserva.

AMBIDESTRO: Depois do final da carreira como futebolista, quais são os teus objetivos?

Nélson Lenho: Quero ficar ligado ao futebol, gosto especialmente da área do dirigismo desportivo ou agenciamento de jogadores.

Os festejos da vitória ao FC Porto na Taça

AMBIDESTRO: Qual foi o momento/feito mais positivo da tua carreira? E negativo?

Nélson Lenho: O momento negativo, não vejo dessa forma, as coisas aconteceram no meu percurso de forma natural. É claro que nem sempre tudo correu bem mas prefiro pensar que foram momentos de aprendizagem e crescimento. O positivo, o facto de nunca me ter lesionado e espero continuar com esse momento por mais uns anos. Um feito positivo: as 4 subidas que tive, todas diferentes mas todas inesquecíveis. O negativo: por duas vezes que fico pela meia-final da Taça de Portugal.

AMBIDESTRO: Depois duma longa carreira nas divisões secundárias e na Primeira Liga, em que tiveste a oportunidade de te cruzar com outros grandes jogadores do futebol nacional, qual é o teu maior conselho para os jovens que também ambicionam ser profissionais?

Nélson Lenho: Que nunca desistam, acreditem sempre no vosso valor e não se deixem influenciar por aqueles que vos dizem que vocês não conseguem, que vocês não são capazes. Sejam sérios, apliquem-se e certamente que num futuro a curto/médio prazo vocês serão recompensados por todo o vosso sacrifício e dedicação.


Nélson Lenho faz da sua personalidade um dos maiores trunfos em campo, e no balneário. Muito determinado, humilde e dedicado, transpõe esse caráter para os colegas, o que faz dele uma escolha natural para a braçadeira de capitão. A sua experiência torna-o muito competente nas ações defensivas, quer no desarme, quer na marcação.

Conhece o momento certo para subir no terreno, e não tem medo de cruzar aberto. Essa capacidade de cruzamento valeu-lhe 5 assistências na época passada, uma delas contra o Sporting. Aos 33 anos, este lateral-esquerdo procura ajudar a cimentar o Aves na Primeira Divisão, não disputada pelo clube desde 2007.


De férias e chinelo de dedo
Fora das quatro linhas:

Prato favorito: Bacalhau espiritual feito pela minha esposa.

Música favorita: Bob Marley
Filmes favoritos: Gladiador
Tempos livres: Ler e passear com a família
Ídolo de infância: Figo / Pedro Barbosa
Treinador mais marcante: Todos me marcaram, uns pela positiva outros pela negativa.
Melhor jogador da atualidade: Cristiano Ronaldo
Melhor equipa que viste jogar: Barcelona de Pep Guardiola.

 


 

Um agradecimento muito especial ao Nélson Lenho pela disponibilidade, e pela amabilidade durante todo o processo. Em nome do AMBIDESTRO desejo-te as maiores felicidades tanto a nível profissional como pessoal.
Junte-se a nós no facebook em AMBIDESTRO

David Silva

Lourinhanense de gema, é estudante de Ciências da Comunicação na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas. Tem como hobby a escrita, e como paixão o futebol.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.